AMARÁS AO TEU PRÓXIMO

08/11/2016 às 12:32 - Atualizado em 08/11/2016 às 12:32

Jesus resumiu os dez mandamentos em apenas dois: amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Simples. Muito simples. O problema é colocá-los em prática. Como amar um sujeito que lhe aponta um revólver e leva seu caminhão? Como amar uma pessoa que cruza sua frente com o carro, esquecendo que você está em uma carreta, carregada, e não irá conseguir frear em um curto espaço. É difícil. Mas pensando por outro lado, você é um cara de sorte. Mesmo que você não tenha um caminhão, tem uma família, um lugar para voltar. Muita gente não tem.

E independente de religião, se você acredita em Deus ou não, se tem outra religião, não importa. Você há de concordar comigo que existe algo maior, algo que podemos chamar de “Forças do Bem”. Qual foi a última vez que você praticou uma boa ação? Ajudou um idoso a atravessar a rua, uma senhora carregar a sacola, ou mesmo deu passagem para outro motorista? Entenda, o bem está nas mínimas coisas. Nas estradas você deve ver muita coisa ruim. Mas se você é do bem, sabe ficar longe delas. Mas se nas estradas existem coisas ruins, também existem coisas boas e você pode torná-las ainda melhor. Você pode alegar que não tem dinheiro, que não pode ajudar ninguém, que sua vida está difícil, que não tem para onde correr. PARE.

Olhe à sua volta. Você é um milionário diante de muita gente que está em pior condição que você. Ajude, ampare, acalente, seja motivo de alegria. Ajude o próximo, seja ele quem for. Ariano Suassuna, no livro “O auto da compadecida”, colocou Deus como um negro andarilho. E por que não? Quem sabe. Há alguns dias vi um grupo de caminhoneiros reunidos para distribuir brinquedos no Dia das crianças (veja matéria nesta edição). Todos eles enfrentam as mesmas dificuldades que você. No entanto, pararam um dia, deixaram de trabalhar, de ganhar dinheiro, para fazer a alegria de crianças que não conheciam. Perguntei a um deles, quanto custou uma das muitas bolas que compraram.

Ele disse: R$ 1,00. O que é R$ 1,00 em seu orçamento? Vai lhe faltar para comprar um pneu novo, para encher o tanque do seu caminhão? Claro que não. E porque não doar, não dar para alguém que precise. Assim de maneira direta, você entrega para alguém. Mas e minhas contas? Minhas dívidas? Em janeiro tem IPVA, IPTU, e tudo mais, como doar? Oras. Pare de olhar para seu umbigo e pense no próximo. Todos temos problemas, mas pense nos problemas daqueles menos favorecidos que você. Mas eu não tenho caminhão, não tenho um emprego decente, não tenho dinheiro, não tenho casa. Ok. Vá a um orfanato. Olhe o sorriso lindo de uma criança de dois anos com a cara lambuzada de bolo. Ela não tem nada. E mesmo assim sorri.

Texto: Francisco Reis