Ambulâncias, caminhões e ônibus escolares ficam presos em rodovias estaduais por conta das chuvas

03/04/2017 às 10:12 - Atualizado em 10/04/2017 às 3:40

Imagens enviadas por internautas revelam a situação preocupante de trechos das MT-437 e 430, que ligam o município de São José do Xingu, extremo norte de Mato Grosso (1.161 km de Cuiabá) a Confresa. A chuva, recorrente na região, tem preocupado o setor do transporte de cargas e outros veículos, como ônibus escolares e ambulâncias, que ficado parados, informa a secretaria de obras do município.

Os registros foram feitos pela internauta Lacy Fernando, que planta soja na região. As imagens foram feitas em trecho próximo ao armazém da Amaggi e evidenciam não apenas uma estrada sem asfalto ou acostamento, mas destruída por buracos, resultado das chuvas e dos veículos de grande porte, como caminhões que transportam grãos.

O secretário de obras de São José do Xingu, Ludio Barros, lamenta a situação. “Quando chove complica mais ainda, é tanto atoleiro e chuva que se continuar não damos conta. Temos vicinais onde passam também veículos de transporte escolar”. Adiante, o secretário aponta para a única solução imaginável. “Que acabem as chuvas e asfalto”.
Todo o Estado de Mato Grosso tem sido castigado pelo excesso de chuvas. Segundo projeção do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) devido ao excesso de chuva, uma área de 37.483 mil hectares chegou a ser abandonada em Mato Grosso. Contudo, apesar do excesso de chuva em algumas regiões, como a Oeste, onde lavouras em Campo Novo dos Parecis, por exemplo, chegaram a ficar embaixo d’água, a produtividade ficou acima do esperado atingindo 55,06 sacas por hectare, o que contribuiu para o crescimento da produção.

Fonte: OlharDireto