Pronta para a virada

01/08/2016 às 3:25 - Atualizado em 15/09/2016 às 3:15

Sílvio Barros acredita na retomada da economia em 2017 e a Meritor trabalha nesta direção.

Comemorando 60 anos de Brasil, mas com ânimo de adolescente, a Meritor aposta no reaquecimento da economia brasileira no ano que vem e está preparada para isso.

 Texto: Francisco Reis – Foto: divulgação

“Estamos aprendendo muito com a crise, e vamos sair mais fortes,” afirmou Sílvio Barros, vice-presidente e Diretor Geral da Meritor para América do Sul, durante evento de comemoração dos 60 anos da empresa. “Temos tudo para voltarmos a crescer, mas desta vez, de maneira sustentada”. Ele explica que este ano o desempenho da empresa deverá ter uma queda de 10 a 12% devido à diminuição dos veículos rodando, mas ainda assim, está melhor do que o mercado em geral.

Um dos motivos desse bom desempenho, apesar da queda, é a infraestrutura que conta, entre outras coisas, com um centro de excelência aqui no Brasil, com um grupo de engenheiros altamente capacitados que conseguem desenvolver produtos específicos para o nosso mercado. A empresa faturou US$ 3,5 bilhões no ano passado no mundo inteiro. A América do Norte foi responsável por 65% desse faturamento, seguida pela Europa 20%, América do Sul 6% e Ásia 9%. Conseguiu manter o investimento de US$ 5 milhões ao ano, nos últimos cinco anos.

Está completando 60 anos de Brasil no mesmo local onde foram feitos muitos investimentos e produz eixos para diversas atividades. Possui um centro de distribuição de peças para todo o Brasil e para a América do Sul.

Em 1996, começou a participar do Consórcio Modular, na fábrica da então Volkswagen, hoje MAN, em Rezende. A operação deu tão certo, que em 2013 inaugurou a primeira fábrica Meritor, fora do município de Osasco, em São Paulo, justamente em Rezende, para atender ainda melhor seu maior cliente, a MAN.

Criou uma joint venture com a Randon na fundação da Master que fabrica freios com a tecnologia da Meritor, que detém 49% da empresa e com todo o processo de manufatura da Randon, que detém 51%.

A Meritor pode agregar serviços montando seus produtos na linha do cliente, oferecendo a flexibilidade fornecer apenas uma peço para outras montadoras produzirem seus eixos, como montar o produto inteiro em um complexo modular.

“Já foram fabricados 8 milhões de eixos, sendo 3,5 milhões para veículos comercias,” explica Barros. “Temos mais de 1 milhão de veículos rodando com eixos Meritor, que está presente nos grandes fabricantes do País”.

Em 2011 começou a usar a Fórmula Truck como laboratório de desenvolvimento. Atualmente tem 13 caminhões na pista. Com novas instalações inauguradas em fevereiro consegue acelerar o processo do produto, adaptando a tecnologia do exterior com as necessidades locais. Para não perder a referência dos clientes, mantém uma frota que visita os clientes levando todos os componentes para demonstração de como funciona o eixo, para que os usuários utilizem a melhor maneira possível.

A Meritor tem suas raízes associadas a marcas como Braseixos e Rockewll. A Cresa surgiu a partir da união entre a Cobrasma e a divisão da Rockwell Spring & Axle Co.A Cresa foi absorvida pela Cobrasma Rockwell Eixos S.A., sucedida pela Braseixos Rockwell, que depois passou a ser chamada de Braseixos e ainda Rockwell Braseixos. A Meritor do Brasil surgiu do braço automotivo da Rockwell International, unindo-se com a Arvin em 2000, sob a razão social de ArvinMeritor. No Brasil, a mudança consolidou-se no início de 2011, mudando o nome para Meritor, Inc.