Caminhoneiros e o transporte de cargas: saiba a importância dessa dupla para a economia brasileira

04/07/2016 às 4:02 - Atualizado em 23/08/2016 às 11:40

Caminhoneiros e o transporte de cargas: saiba a importância dessa dupla para a economia brasileira

Bens de consumo, por exemplo, são distribuídos em todo país e regiões fronteiras, principalmente, pelo transporte de cargas rodoviário

Basta atentar-se para o fato de que 58% da mercadoria que circula no país é responsabilidade do transporte de cargas no sistema rodoviário, que já se entende o tamanho da importância desse setor para a economia.

São os caminhoneiros que movimentam itens fundamentais para o abastecimento das comunidades, seja no território nacional ou em regiões fronteiras.

Sem esse trabalho, é possível afirmar que o país viveria uma situação de caos, pois muitas famílias e estabelecimentos comerciais sofreriam um forte impacto ao não receber as demandas necessárias para o dia a dia.

Para se ter uma ideia, o Brasil conta com uma frota de caminhões que ultrapassa os dois milhões, segundo o relatório do mês de abril do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Em relação ao transporte de cargas no sistema rodoviário, de acordo com dados da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), há mais de 600 mil registros de transportadores autônomos no país.

O número total, resultado da soma das Empresas de Transporte Rodoviário de Cargas, das Cooperativas de Transporte Rodoviário de Cargas e dos Transportadores Autônomos de Cargas registrados, chegou a mais de um milhão em 2014.

Por onde essas frotas circulam?

O Brasil tem 1,7 milhão de quilômetros de estradas, sendo 12,9% pavimentadas e 79,5% sem pavimento. Desse total, ainda há as rodovias:

  • Estaduais: 14,8%
  • Municipais: 78,11%
  • Federais: 7%

Logo, os milhões de caminhões aptos para o transporte de cargas existentes na frota brasileira podem percorrer até mesmo lugares remotos do país e carregar insumos que, sem o carregamento adequado, não teriam condições de ser entregues.

É claro que as condições das estradas, como se percebe também pelos números, ainda deixa muito a desejar. Por exemplo, são somente 9.522 quilômetros de rodovia duplicados, um número muito baixo perto dos 192.569 quilômetros de rodovias simples, o que não colabora para o fluxo do tráfego.

Mesmo assim, os caminhoneiros enfrentam diariamente os desafios das estradas brasileiras, e movimentam a economia do país.

Mercado das montadoras  

O transporte de cargas também impulsiona o mercado das montadoras. Mesmo diante da crise, a indústria de caminhões mantém as vendas, principalmente, pela cultura de governos no Brasil prezar por essa modalidade de transporte.

A média de produção anual de caminhões chega a 71 mil, de acordo com dados referentes ao ano de 2015, divulgados pela União Nacional dos Caminhoneiros. É um número baixo, se comparado aos anos anteriores, mas coerente com a atual situação econômica do país.

Mais um motivo para ressaltar a importância dos caminhoneiros e do transporte de cargas, afinal, esse setor funciona como a peça chave na engrenagem da economia do Brasil.

E você o que acha do cenário atual do transporte rodoviário de cargas? Dê sua opinião. 

Baixe grátis o infográfico Guia de segurança nas estradas:


Call-to-Action


Referências Bibliográficas

Conheça o mercado de caminhões e entenda sua crise. Site da União Nacional dos Caminhoneiros, 2016

Frota Nacional (Abril 2016). Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), 2016

Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas – RNTRC 2010 a 2014. Agência Nacional de Transportes Terrestres, 2014

Transporte Rodoviário. Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, 2014