Cargo Torqshift: as vantagens de um caminhão automatizado

21/10/2016 às 8:50 - Atualizado em 04/11/2016 às 6:34

Conheça as diferenças entre um caminhão automatizado e um automático

Na hora de trocar um veículo manual por um mais moderno, motoristas e frotistas costumam ter dúvidas quanto ao melhor modelo: afinal, invisto em um caminhão automatizado ou em um automático? A resposta, geralmente, envolve um comparativo entre os custos operacionais de cada tipo de veículo, bem como as vantagens competitivas de um para o outro.

Fato é que a frota brasileira é velha – idade média de 13,9 anos – e sua renovação é uma pauta antiga entre Governo Federal e empresas de transporte. Tanto que, em agosto deste ano, o Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Marcos Pereira, anunciou que deve implantar um programa de renovação de veículos a partir de 2017. As informações são do jornal Valor Econômico.

Pela proposta, caminhoneiros e frotistas receberão incentivos estaduais para trocarem seus veículos de forma espontânea, independentemente de ser um caminhão automatizado, manual ou automático.

Essa notícia pode representar uma boa oportunidade para caminhoneiros e frotistas conhecerem as novidades do mercado e avaliar se está na hora de apostar em uma nova tecnologia. Às vezes, a comparação entre modelos surpreende pelo custo-benefício e o que parece caro, a longo prazo, pode ser um ótimo investimento.

Caminhão automatizado x caminhão automático

Nos últimos anos, a tecnologia se tornou uma aliada do caminhoneiro graças ao desenvolvimento de ferramentas que tornam o caminhão econômico, seguro, confortável e, principalmente, um investimento a longo prazo.

Sendo assim, é comum a confusão entre os modelos de transmissão automática e automatizada. Para que você não tenha dúvidas, veja abaixo uma breve explicação sobre cada um deles e conheça alguns motivos que levam o caminhão automatizado a ser a melhor escolha.

  • Caminhão automático:

Tal qual um veículo de passeio, o caminhão de transmissão automática permite que o motorista troque de marcha pelo conversor de torque, que faz o papel da embreagem.

O lado bom é que o motorista tem o conforto e a praticidade para se dedicar à condução do veículo sem ter de se preocupar com a troca de marcha, no entanto, esse é um sistema caro, até na manutenção de suas peças.

  • Caminhão automatizado:

Pode-se dizer que é uma transmissão que une o melhor da transmissão manual com o melhor da automática. Ela possui componentes similares à de uma caixa manual, porém é acionada por um sistema elétrico assim como uma caixa automática. É um sistema mais econômico e de baixa manutenção, que proporciona o conforto e a praticidade similares ao sistema automático.

A tecnologia Torqshift a favor do caminhoneiro

Pensando nisso, a Ford desenvolveu uma nova linha de caminhões automatizados Torqshift, que foi projetada para trazer a melhor experiência de condução para os motoristas. A nova transmissão automatizada está presente em seis modelos Cargo da companhia norte-americana: C-1723, C-1723 Kolector, C-1729R, C-1729 Tractor, C-2429 e C-1933 Tractor.

Conheça o Cargo Torqshift:

As transmissões automatizadas da nova linha da Ford permitem que as trocas de marcha aconteçam no tempo do motor. Com isso, o caminhão não precisa gastar a embreagem durante as variações de marcha, aumentando em até seis vezes a durabilidade do lubrificante do sistema em comparação com uma caixa manual.

cambio

Graças à automatização do câmbio, o motorista deixa de se preocupar com as trocas de marcha e fica mais à vontade para dirigir. Para se ter uma ideia, em uma operação de 80 mil quilômetros, o câmbio na função drive evita 450 mil trocas de marcha.

Além disso, o caminhão automatizado da Ford conta com diferenciais que o tornam um veículo econômico, confortável e seguro:

  • função HLA, que impede o caminhão de descer em caso de partidas em pistas inclinadas;
  • vida útil do platô/disco até cinco vezes maior que o convencional;
  • melhor aproveitamento do torque e da potência do motor: graças à Função Kickdown, os motoristas conseguem fazer ultrapassagens ou retomadas de velocidade aproveitando ao máximo o desempenho do motor;
  • máximo rendimento do freio-motor e maior durabilidade do freio em declives por meio da Função Flow;
  • função Creep, que permite o motorista manter o veículo em marcha lenta, sem ter de manter o pé no pedal, tanto para frente quanto em marcha-ré;
  • pedal de acelerador com dois estágios: divididos em modo Economia e modo Performance, esses estágios possibilitam duas formas de condução. No modo Economia, as trocas de marcha acontecem a 1.800 rpm, proporcionando maior economia de combustível. E no modo Performance, as trocas ocorrem a 2.300 rpm, privilegiando o desempenho.

Na cabine do Cargo Torqshift

A cabine do caminhão automatizado da Ford é um convite aos motoristas. Os bancos com suspensão a ar de série totalmente ajustáveis, e o espaço interno amplo garantem maior comodidade e conforto ao condutor.
cabine

Para reforçar isso, alguns dispositivos foram instalados para facilitar a vida do caminhoneiro, como o computador de bordo, para passar informações importantes do veículo, e piloto automático inteligente, que ajusta a velocidade conforme a topografia do percurso, sem que o motorista precise reativar a função o tempo todo.

O condutor ainda conta com uma manopla de câmbio intuitiva e muito fácil de ser usada, uma vez que se assemelha a de um carro de passeio.

O Cargo Torqshift também é vantajoso para os empresários

Mais do que beneficiar os caminhoneiros, a previsão do Governo Federal de investir num programa de subsídios para troca de frota pode ser vista como uma oportunidade para frotistas e demais empresas transportadoras apostarem em veículos modernos.

O receio quanto a isso é grande, ainda mais levando-se em consideração o desafio de se manter uma frota com os custos operacionais de cada veículo, assim como os salários dos motoristas, manutenção e o valor do frete.

Talvez esse contexto explique os números de uma pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) sobre o perfil da profissão no país. De acordo com o levantamento, a frota brasileira tem idade média de 13,9 anos -16,9 para os motoristas autônomos e 7,5 para os veículos de frotas.

Trazendo os dados para prática: as empresas têm, em sua maioria, veículos obsoletos que refletem em mais custos de manutenção, abastecimento e reparação de peças, fatores que comprometem – e muito – o caixa no fim do mês.

É por isso que a Linha Cargo Torqshift também é uma opção interessante para os frotistas, pois o seu desempenho interfere positivamente nos custos operacionais do veículo se comparado a outros modelos:

  • redução de tempo e frequência de parada do veículo;
  • até 10% de economia em combustível;
  • custo de manutenção similar ao de uma transmissão manual;
  • nivelamento dos motoristas, não permitindo abusos do motor e trocas de marcha indevidas, facilitando também na hora de contratar novos profissionais.

Entenda como funciona a performance do Cargo Torqshift:

A tecnologia do Cargo Torqshift prova que a Ford Caminhões pensa em todos os detalhes ao desenvolver um caminhão automatizado que dialogue com os interesses de caminhoneiros e frotistas. Para isso, reúne seus conhecimentos para desenvolver veículos que sejam confortáveis para os motoristas, mas que tenham desempenho que os tornam um investimento valioso para os empresários.

São essas as características que fazem a diferença quando chega o momento de colocar na balança o que vale mais a pena: investir no novo ou persistir no que parece mais cômodo. Às vezes, pode ser uma questão de ponderar o que é viável para o momento. Se depender das funcionalidades da nova linha da Ford Caminhões, agora é a hora do Cargo Torqshift.

Cargo Torqshift: as vantagens de um caminhão automatizado