Como sair do sedentarismo: dicas para caminhoneiros colocarem em prática nas suas rotinas

29/11/2018 às 4:24 - Atualizado em 07/12/2018 às 2:56

Você sabia que 78% dos caminhoneiros no Brasil possuem sinais de obesidade? Muitos sabem dessa condição, mas ultrapassá-la se torna um desafio muito grande. Afinal, como sair do sedentarismo e ter uma vida mais saudável?

Um estudo realizado neste ano de 2018 por concessionárias que controlam os sistemas Castelo Branco-Raposo Tavares e Anhanguera-Bandeirantes revelou que dos 5.314 motoristas abordados, 4.167 possuem algum nível de sobrepeso ou obesidade.

Para calcular esses valores, os pesquisadores utilizaram a medida do Índice de Massa Corporal (IMC), que é definido pela relação entre peso e altura. O resultado dessa divisão deve gerar um número que determinará se a pessoa está saudável, com sobrepeso ou obesa, de acordo com uma tabela da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Esses números revelam uma situação preocupante, já que a obesidade pode ser um fator preponderante para o surgimento de outras doenças como a pressão alta e a diabetes, tão comuns e prejudiciais em tantos caminhoneiros país afora.

Sedentarismo no Brasil

O sedentarismo no Brasil não é uma realidade que existe apenas entre os caminhoneiros. Isso significa que milhões de pessoas, em diferentes estados e cidades, não costumam praticar nenhuma atividade física, o que torna a obesidade muito mais próxima.

Existem diferentes meios para vencer o sedentarismo e ter hábitos e atitudes saudáveis. Esses artifícios vão desde a prática de diferentes esportes até uma alimentação mais regrada e consciente.

Dicas para melhorar a saúde dos caminhoneiros

A rotina de um caminhoneiro é extremamente cansativa, com longas jornadas na estrada e curtos períodos de parada. Dessa forma, é muito difícil ter tempo para praticar algum exercício ou ter uma refeição adequada, não é mesmo?

Apesar disso, ter um cuidado com a saúde é muito importante e até mesmo necessário. É válido lembrar que com pequenos gestos e ações já é possível diminuir o nível de sedentarismo e evitar todas essas doenças tão perigosas.

Confira algumas atitudes que podem fazer toda a diferença no dia a dia dos caminhoneiros:

1. Evitar carboidratos em excesso

O carboidrato é um dos principais responsáveis pela obesidade no brasil. Sabemos que é difícil excluir totalmente esse tipo de alimento da rotina dos caminhoneiros, mas se puder reduzir um pouco já será muita coisa.

Dentro desse grupo de alimentos que devem ser evitados em excesso estão pães, carnes gordurosas, doces com muito açúcar, sucos prontos e iogurtes.

2. Alimentos recomendados

Existem diversos tipos de alimentos que podem ajudar nessa “dieta”. Entre eles está a sopa, que pode satisfazer a fome, mas possui uma quantidade pequena de calorias. Além dela, alimentos grelhados, como o peixe, podem ser interessantes.

Os alimentos ricos em fibra também podem ser muito válidos nesse momento, já que eles são capazes de diminuir o tempo que outras comidas permanecem no intestino. Nesse campo estão o feijão, a lentilha, o grão-de-bico e a ervilha.

3. Pequenos exercícios

Para evitar doenças no caminhoneiro, praticar alguns exercícios pode ser uma ótima ideia. Claro que não é necessário realizar grandes esforços, como academia ou natação, por exemplo. Apenas pequenas caminhadas já são o suficiente para queimar calorias e permitir ao caminhoneiro uma vida mais saudável.

Mesmo durante paradas em suas viagens, os caminhoneiros podem realizar algumas atividades. Os médicos revelam que pode ser extremamente vantajoso praticar 15 minutos de caminhada e alguns alongamentos todos os dias. Com pequenos passos, os resultados a médio e longo prazo podem ser ótimos, basta acreditar e ter disposição.

Como calcular o IMC?

Gostou do assunto e deseja saber se você está saudável, com sobrepeso ou obeso? Não se preocupe, vamos lhe mostrar como calcular o Índice de Massa Corporal e entender como está a sua saúde.

Para descobrir o IMC basta dividir o seu peso pela altura. Os valores menores do que 18,5 indicam peso inferior ao ideal, que deve ser entre 18,6 e 24,9. Até 29,9 é considerado sobrepeso e acima disso já pode ser denominado obesidade.

Os dados acima são importantes, mas nada anula um bom diagnóstico médico, que pode lhe auxiliar da melhor forma e propor soluções sobre como sair do sedentarismo e ter uma rotina mais adequada e saudável.