Novidades sobre a DAF

03/10/2017 às 3:30 - Atualizado em 03/10/2017 às 3:30

Luis Gambim diretor comercial da daf, fala das novidades da empresa

Revista Caminhoneiro – Como está a DAF no Brasil?

Luis Gambim – A DAF vem crescendo mês a mês. A boa notícia é que estamos aumentando a nossa produção. Enquanto, o mercado nacional vem em um ritmo de reduzir produção, nós aumentaremos. A partir do dia 1º de setembro produziremos cinco caminhões/dia.

 

Caminhoneiro – Esse número vem ao encontro do planejamento estratégico da empresa?

Gambim – Sim. Em termos de crescimento do nosso market share, estamos dentro da previsão que orçamos para este ano. A gente vem crescendo 30% em relação ao mesmo período do ano passado e devemos crescer um pouco mais até o final de 2017. Nós temos expectativa de um segundo semestre mais forte.

 

Caminhoneiro – Quais são os motivos desse melhor segundo semestre?

Gambim – Um dos motivos é a Fenatran/2017 que sempre acaba ajudando positivamente. O transportador sempre anseia por estar junto ao fabricante, espera uma condição diferenciada e novidades de novos produtos. O mercado financeiro está se “descolando” da política. Já está no ar mais credibilidade por parte dos clientes. Um pouco mais de confiança em relação ao País e mercado brasileiro. A DAF vem bem. Realizamos investimentos altos. Um deles é no Banco Paccar. Já fizemos aplicação no Banco Central, no primeiro aporte de capital e investimos em sistemas que já foram testados. Agora é a fase de aguardar o decreto presidencial. Tudo isso está perfeitamente dentro do nosso cronograma. O Banco Paccar deverá estar pronto no final de 2018, com início de operações no começo de 2019. Com a sua abertura poderemos aumentar as vendas no País.

 

Caminhoneiro – É possível adiantar algumas novidades que serão mostradas nesta Fenatran/2017?

Gambim – Só posso lhe dizer que é para o setor fora de estrada e que vamos atuar em segmentos que irão completar a nossa linha atual de produtos. Aproveito para destacar também a Paccar Parts que é muito importante à rede de concessionários DAF. Nós oferecemos peças genuínas DAF, peças genuínas Paccar e a TRP, linha multimarcas. Gradativamente, estamos expandindo novas linhas, sobretudo, para a TRP. Percebemos a movimentação da concorrência indo nesse mesmo sentido. Isso só reforça que sempre estivemos no caminho certo.

 

Caminhoneiro – Como está o pós-vendas DAF?

Gambim – Quando cheguei à DAF, fiquei responsável por quatro áreas: vendas, pós-vendas, marketing e desenvolvimento de concessionárias. Logo tive a preocupação de desenvolver a nossa rede, vendas, marketing e pós-vendas. Mas, sei que o pós-vendas é um dos pilares da marca DAF e é importantíssimo. Hoje, a DAF está muito bem estruturada nesse sentido. Não temos problemas nele. Sabe, Grazi, o caminhão DAF tem criado uma fama de caminhão que não quebra, baixo custo operacional e é muito econômico. Os motoristas elogiam o conforto do nosso caminhão e a dirigibilidade. Ele é bem conhecido, tem um excelente trem de força e já é consagrado.

 

Caminhoneiro – Qual é o número de concessionárias da DAF?

Gambim – No momento temos 21 concessionárias e mais setes Pontos de Serviço Independentes (ISPs) que recebem o treinamento da DAF Academy. O objetivo é que o serviço esteja padronizado em todas as lojas e de acordo com as exigências de qualidade da Paccar. Outro benefício da estrutura aos clientes é que todas as unidades estão integradas com a rede de atendimento do DAF Assistance, um serviço móvel especializado para realizar reparos de maneira rápida e segura. O serviço está habilitado para atender aos clientes 24 horas por dia. Devemos fechar o ano com mais três ISPs e talvez mais duas ou três concessionárias. Para se ter uma ideia, já atingimos 85% de cobertura do território nacional e continuamos trabalhando com afinco para o total.

Caminhoneiro – Como está o valor de revenda do caminhão DAF?

Gambim – Essa é uma pergunta importante. Sempre queremos oferecer o melhor para os nossos clientes. Para tal, estamos criando um programa justamente para posicionar os nossos caminhões no mesmo patamar de valor de revenda da concorrência. Que os usados tenham o mesmo valor de revenda que um caminhão de outra marca, sobretudo, as premium. Mas, saiba que quem tem um DAF não quer vendê-lo. O caminhão está indo bem demais. Gostaria de salientar que, atualmente, a nossa empresa tem 280 funcionários, ao contrário das demais montadoras que reduziram seus funcionários.

Caminhoneiro – A DAF pretende exportar?

Gambim – Já está em fase de estudos para atuarmos em alguns países da América Latina. Provavelmente, no próximo ano teremos mais novidades sobre esse assunto.

Caminhoneiro – O executivo falou que o caminhão DAF não quebra. Então, o índice de disponibilidade é alto?

Gambim – Acertou Grazi. Ele é muito bom como já lhe falei. Nós também ofertamos planos de manutenção adequados para cada caso. Atendimento personalizado para cada grupo, realmente investimos na marca. A primeira pesquisa de satisfação independente, para sabermos as opiniões dos nossos clientes, apontou elevado nível de satisfação, disponibilidade e conforto dos caminhões DAF. Outra novidade é o Consórcio DAF com primeira assembleia realizada com mais de 300 cotas vendidas.

O caminhão DAF possui fama de caminhão que não quebra. Ele tem baixo custo operacional e é muito econômico. Os motoristas elogiam também o seu conforto.

Caminhoneiro – A DAF Caminhões Brasil é eleita Marca do Ano pelo segundo ano consecutivo?

Gambim – É verdade, foi uma honra receber este prêmio. Recebemos pelo segundo ano consecutivo o prêmio de “Marca do Ano” pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), na categoria “Caminhões e Ônibus”. Isso mostra o comprometimento que temos com nossos clientes e com o Brasil. A DAF veio para ficar e estamos sendo reconhecidos por isso.