Nova Geração Scania

28/09/2018 às 3:52 - Atualizado em 12/11/2018 às 8:35

Na sua fábrica de São Bernardo do Campo (SP), a Scania apresentou à imprensa e aos seus mais de 4.500 funcionários a Nova Geração de caminhões Scania. Para esquentar a demonstração contou com a presença de uma porta-bandeira e alguns músicos da bateria da Escola de Samba Vai Vai. Na realidade esse foi um pré-lançamento, mas o lançamento oficial acontece em outubro próximo.

As encomendas dos caminhões começam a ser aceitas na última semana de outubro e entram em produção em fevereiro.

Assista a transmissão ao vivo que fizemos deste momento clicando aqui. 

Segundo Christopher Podgorski, presidente e CEO da Scania Latin America, sabemos que este lançamento é resultado do maior investimento na história da empresa, ao mesmo tempo em que representa um passo à frente da indústria no que se refere à rentabilidade dos negócios de nossos clientes e de sustentabilidade.

OLHA ESSE CAMINHÃO PRETO!

Lançada na Europa em agosto de 2016, a nova Geração Scania é resultado de 10 anos de desenvolvimento e investimentos ao redor de 2 bilhões de Euros. “Por uma questão estratégica, fizemos a introdução por fases. E, ao longo dos últimos dois anos, acompanhamos as introduções das aplicações de Longa Distância, Regional e Urbana e Severas. Ao mesmo tempo, o exclusivo e consagrado Sistema Global de Produção Scania foi se preparando”, explica Podgorski. Segundo ele, ser a última região tem um grande benefício.

“Temos um veículo não apenas testado e aprovado pelos clientes, mas reconhecido por suas inovações e pelo excepcional desempenho que entrega”, diz.

Mudanças

A Scania está reformulando completamente sua gama de cabines com a chegada da Nova Geração de caminhões. A grande novidade é a versão S, que pela primeira vez disponibiliza ao cliente o piso plano. Esta será a versão topo de linha para os compradores mais exigentes. As novas cabines foram projetadas até o último detalhe para atender as demandas de hoje e dos próximos anos em termos de produto e serviços.

Os novos caminhões da Scania irão abranger nada menos que 19 diferentes especificações da cabine. Para se ter ideia, a gama atual oferece sete opções. Isso permite à Scania personalizar a solução correta ao cliente para cada tipo de aplicação, independentemente de o foco estar no espaço interior, economia de combustível, o máximo de conforto ou maior capacidade de carga.

“O desenvolvimento de novas cabinas de caminhão premium é um processo altamente complexo”, diz Celso Mendonça, gerente de Pré-Vendas da Scania no Brasil. Visibilidade, conforto, requisitos obrigatórios por lei, funcionalidades, ergonomia, baixo peso e alta segurança são apenas algumas das áreas que precisam ser minuciosamente analisadas, independentemente do tipo de aplicação do cliente.

“Estamos satisfeitos com o que conseguimos e convencidos de que esses caminhões irão definir um marco na indústria também no Brasil, igual está sendo na Europa”, diz Mendonça.

Quanto ao exterior da cabine, a Scania tem dado prioridade aos aspectos relacionados com a aerodinâmica e, consequentemente, ao consumo de combustível. Cada superfície, na parte da frente, nas laterais e até debaixo do veículo, foi otimizada para uma resistência mínima do ar. Componentes como espelhos retrovisores e todas as luzes foram concebidos nesse ideal. Um exemplo concreto é que a viseira padrão da indústria não vem de série. Mesmo equipamentos como defletores de ar foram cuidadosamente integrados na concepção global, para mais uma vez não desamornizar o conjunto com qualquer cabine e operação.

Aerodinâmica no estado da arte foi um dos objetivos da Scania durante o processo de desenvolvimento. A Scania trouxe suas excelentes experiências do Streamline, e o resultado foi um caminhão que pode agora reduzir o consumo de combustível em 2% graças à menor a resistência do ar, em comparação à linha atual P, G e R.

Cabine S

Todas as cabines são projetadas com foco no motorista. Independentemente de qual cabina os clientes escolham, eles terão espaço interior ainda mais generoso do que antes. Trata-se de um acréscimo de duas polegadas de comprimento, e também um aumento geral na altura do teto.

“O novo teto padrão é 10 centímetros maior do que o atual”, diz. “E mesmo os modelos de teto superiores são um pouco mais espaçosos do que antes. Estamos falando de uma diferença de altura de 16 centímetros, que será apreciada particularmente por aqueles que passam mais tempo na cabina.”

Nas novas cabines, a posição de direção do motorista foi deslocada 65mm mais próximo do para-brisas e 20mm para o lado, em comparação com a cabine atual. Dentre os principais benefícios estão melhorias em segurança, visibilidade e espaços interiores (particularmente para as camas e regulação dos estágios da suspensão a ar dos assentos).
A melhor visibilidade foi alcançada graças a uma maior área envidraçada frontal e pela realocação numa posição mais baixa do painel de instrumentos. Os espelhos retrovisores receberam uma atualização de um novo design completamente focado em aerodinâmica de alta eficiência. Os ocupantes passam a ter uma visão das imediações do caminhão ainda maiores. Os espelhos nas cabines R e S têm uma função de grande angular, são eletricamente ajustáveis e têm amortecimento eficaz de vibrações.

Os espelhos frontais ganharam novo design e formato, com o objetivo de oferecer um maior campo de visão e melhor aerodinâmica. O ajuste elétrico também está disponível como opcional. Todos os suportes de espelho podem ser pintados. As cabines estão prontas para a instalação de câmeras, até no lugar de alguns dos espelhos.

A Scania sempre colocou muita ênfase na experiência do condutor como parte essencial de seu DNA de criação, e a Nova Geração de caminhões não é exceção. “O centro de gravidade está mais baixo”, relata Mendonça. “Isso traz benefícios como maior estabilidade ao fazer curvas e sob forte frenagem, sem afetar o conforto do motorista. A experiência na direção está mais dinâmica e prazerosa como nunca.”

A Nova Geração chega com sistema de frenagem mais avançado. Para colocar em prática sua eficiência, a solução foi trazer o eixo dianteiro em 50mm para frente. Aliado ao centro de gravidade mais baixo da cabine, um cavalo mecânico 4×2 com cerca de 40 toneladas de peso total pode parar totalmente, por exemplo, numa velocidade de 80 km/h em uma distância 5% mais curta. “É um dado muito importante para a segurança nas estradas. É uma contribuição para diminuir acidentes”, conta Mendonça.

As novas cabines pode ser equipadas com airbags laterais anticapotamento, que são integradas no teto da cabine, uma técnica que nunca havia sido usada antes em caminhões. Junto com o uso do cinto de segurança, a “cortina” de airbags é uma característica crucial na prevenção de um dos tipos mais comuns de acidentes, com consequências graves envolvendo caminhões: o motorista ser atingido dentro da cabine por partes interiores ou ser preso por baixo dela.

O motorista

Naturalmente, os interiores das novas cabines foram criados para oferecer ao motorista uma direção otimizada e espaço privilegiado para descanso. Opções de ajuste do assento estão ainda mais generosas – todos os motoristas com alturas entre um metro e meio e dois metros vão encontrar uma posição de condução confortável. Além disso, a visibilidade frontal e lateral melhoraram graças à posição inicial do motorista que está mais perto do para-brisas e um pouco para a esquerda.

Uma atenção especial foi dada para garantir que haja mais espaço para os joelhos, pernas e pés dos profissionais altos, mesmo quando estiverem vestindo roupas grossas e grandes botas, em alguns casos de operações fora de estrada. O painel redesenhado também torna mais fácil a movimentação para os lados, dentro da cabine, quando o veículo está estacionado.

O design interior foi desenvolvido pela equipe de Kristofer Hansen, chefe de Design da Scania Suécia. Funções importantes podem ser especificadas com a nova eletrônica embarcada como o sistema ADAS, por exemplo. Outras exigências mais básicas são encontradas por meio de um design ergonômico perfeitamente adaptado, desde bebidas geladas (na nova geladeira) até o telefone (no formato fone de ouvido e microfone ajustável próximo da boca) devem estar sempre à mão em espaços de armazenamento facilmente acessíveis. O porta-objetos lateral externo nas cabinas R e S têm uma abertura de 410 x 570 mm; e podem ser acessados também de dentro da cabine.

A capacidade de armazenamento interno é projetada com o objetivo de alcançar o máximo em disponibilidade e flexibilidade, e pode ser complementada com funcionalidades tais como prateleiras, ganchos e redes para atender às necessidades. As possibilidades de armazenamento foram ampliadas, com foco em volume e acessibilidade.

A disposição da cabina foi cuidadosamente planejada e o espaço deve ser bem utilizado, até o último detalhe. Uma ampla gama de possibilidades de itens de conforto pessoal podem ser adicionados dependendo do tipo de cabine e de cama.

As opções de cama, em particular, são especialmente numerosas. A cama inferior, bem como uma possível cama superior, podem ser especificadas em uma grande variedade de modelos e medidas, com base em exigências de conforto. “Na cabina S, é possível comportar duas camas de 80cm (das quais a menor pode ser estendida para 100cm) com colchões de densidade maior, por exemplo, para veículos de longa distância que utilizem dois motoristas se revesando”, diz. “Os dois motoristas vão dormir com o mesmo o conforto”, salienta Mendonça.

“Da linha atual P, G e R, passaremos de 7 opções para 19 tipos de combinações variantes das novas cabines R, S, P, G e a XT para pisos irregulares. É um avanço muito grande para o cliente aumentar a redução de custos na operação”. A cabine S é uma das principais novidades para o Brasil, pois traz o piso plano como maior vantagem, que melhora o deslocamento interno do motorista, propiciando mais conforto.

As opções de motores também ganham incremento com a nova linha. Passarão a fazer do cardápio, quatro blocos, de 7, 9, 11 e 13 litros, com 11 potências, de 220cv a 620cv, dentre os quais a fabricante introduz um de 540cv.