Novo Cargo Ford Euro 5

19/06/2016 às 9:29 - Atualizado em 21/06/2016 às 10:14

A Ford fará a sua mais intensa participação no Salão de Transporte em um estande de mais de dois mil m2, no qual estarão expostos 18 caminhões de seu portfólio, entre eles cinco versões do novo Cargo Euro 5.

A Ford faz a estreia do Cargo Fórmula Truck com a nova cabine. Além dele, estarão expostos o Ford Odontomóvel, o F-4000 campeão do Rally dos Sertões pelo sétimo ano consecutivo, a linha de vans e furgões Transit e os novos Cargo.

“Essa é a maior Fenatran que já realizamos. Será a primeira vez que mostramos o Novo Cargo para um público tão grande. Ele já chega com mais novidades além da cabine, como uma linha nova de motores. Temos muito que contar para nossos clientes”, diz Oswaldo Jardim, diretor de Operações de Caminhões da Ford América do Sul. “Fomos a primeira marca automotiva a operar no País e nos orgulhamos de sempre ter honrado o compromisso de qualidade com os clientes. Essa confiança é o nosso maior patrimônio e nos garante uma base sólida para oferecer produtos e serviços cada vez melhores.”

Os veículos estão equipados com motores que trazem a tecnologia Euro 5. Os novos Cargo Euro 5 trazem como destaques, motores mais potentes, econômicos e limpos. Composta pela linha de motores Cummins ISB 4.5 litros, ISB 6.7 litros e o novo ISL 8.9 litros, a linha Cargo Euro 5 passará a ter nova nomenclatura em função do aumento da potência. A linha terá doze novos modelos: Cargo 816, Cargo 1319, Cargo 1519, Cargo 1723, Cargo 1719, Cargo 1933 R, Cargo 1933 Tractor, Cargo 2423, Cargo 2429, Cargo 2623, Cargo 2629 e Cargo 3133. O nível superior de torque e potência e a economia de combustível são os destaques dos caminhões Cargo Euro 5, que utilizarão a tecnologia SCR (sigla em inglês para Redução Catalítica Seletiva) de pós-tratamento dos gases de escape. Como é tradição na linha, a proposta de desenvolvimento foi direcionada para maximizar o retorno do investimento para o cliente.

As inovações tecnológicas introduzidas nos motores Cummins ISB e ISL e o desenvolvimento de toda a linha Cargo, realizada pela engenharia da Ford em São Bernardo do Campo e no Campo de Provas de Tatuí (SP), permitiram extrair mais desempenho e menor consumo desses blocos, com redução do custo operacional e melhor resultado para o transportador. Foram realizados mais de 1 milhão de quilômetros em testes dinâmicos de homologação dos novos motores e da tecnologia SCR somente nas pistas do Campo de Provas de Tatuí. Desse modo, a Ford Caminhões mantém na Linha Cargo Euro 5 as características que se tornaram referência em consumo e durabilidade no mercado nacional.

“O desenvolvimento feito pela engenharia do Brasil é um diferencial que agrega qualidade e maior confiabilidade para nossos clientes. Substituímos os motores, oferecendo não apenas redução das emissões, mas um melhor desempenho e ótima relação custo/benefício, com avanços que vão do encontro das necessidades das diversas operações em que o Cargo é utilizado”, explica Antonio De Lucca, engenheiro Chefe de Desenvolvimento de Caminhões da Ford.

Além de mais potente, a linha Novo Cargo Euro 5 oferece faixa ampliada de torque em baixa rotação em todos os modelos, que se traduz em maior agilidade e força para o conjunto. O desenvolvimento dessa nova configuração dos motores, feito para as condições de utilização no Brasil, trouxe ainda redução do consumo de combustível entre 5% e 7%, dependendo da operação.

A linha Cargo Euro 5 ganhou um reservatório específico para o Arla 32, com capacidade para 25, 50 ou 90 litros, conforme o modelo e um sistema avançado de diagnóstico incorporado ao painel de instrumentos. A quantidade de Arla 32 disponível no reservatório é verificada pelo indicador digital no centro do painel de instrumentos, composto por 5 LEDs: quatro verdes e um vermelho.

Esse sistema de diagnóstico de bordo informa o motorista sobre o correto funcionamento do SCR. Se ocorrer alguma falha no sistema de pós-tratamento, uma luz de advertência se acende no painel.

Com a nova tecnologia de pós-tratamento dos gases para atender a norma P7 do Proconve, os frotistas terão de incluir uma nova rotina na operação do caminhão: o abastecimento do Arla 32. A solução aquosa à base de ureia é segura para o manuseio e transporte e será comercializada pela rede Ford Caminhões, pela Cummins e postos de serviço. O Arla 32 tem um consumo estimado de 5% em relação ao consumo de diesel no caminhão.

Para a tecnologia SCR funcionar sem prejuízos para o sistema, a quantidade de enxofre presente no diesel deve ser de no máximo 50 ppm (diesel S50, com 50 partes de enxofre por milhão), sendo o ideal diesel S10. A utilização de diesel S500 ou S1800 não é recomendada, sob pena de danos ao sistema de pós-tratamento e consequente perda da garantia dos componentes afetados.

Outra novidade da Ford na Fenatran é o sistema Fordtrac de rastreamento e telemetria, desenvolvido em parceria com a Autotrac, Projetado exclusivamente para a linha de veículos comerciais da Ford Caminhões, é um sistema totalmente novo que traz muitos benefícios e ferramentas avançadas para que o transportador faça o monitoramento em tempo real e possa gerenciar sua frota à distância.

O sistema combina funções de telemetria, logística e segurança. A telemetria permite registrar de forma remota as principais informações sobre a utilização e o desempenho do caminhão, como velocidade, rotação do motor, e distância percorrida. Ou seja, dados importantes para gerenciar a operação e buscar redução dos custos de combustível e manutenção, incluindo pneus e peças de reposição.

A disponibilidade de informações precisas sobre a localização dos veículos também é um fator importante para a programação logística, aumentando a produtividade e segurança na operação da frota.

No aspecto de segurança, há uma redução dos riscos para o transportador, pois o sistema é dotado de diversos dispositivos que inibem o furto da carga e do veículo. Se o caminhão sai da rota planejada, por exemplo, um sinal de alerta é imediatamente disparado para a central de monitoramento.