Ousadia em três letras

19/06/2016 às 9:29 - Atualizado em 22/06/2016 às 6:47

Ousadia em três letras
Ninguém é líder por acaso. E a MAN, com sua marca Volkswagen, lidera o mercado há nove anos, sendo responsável por um terço dos caminhões vendidos no Brasil. “Uma coisa é atingir a liderança e outra é manter-se no mercado tão competitivo como o Brasil, por quase dez anos”, afirma Roberto Cortes, presidente da MAN Latin America. “E também na exportação, a MAN tem por meio da marca Volkswagen, 33% no período de janeiro a agosto de 2011. Com a introdução da marca MAN, ofereceremos a linha completa, de 5,5 a 74 toneladas”.

Quanto à tecnologia para cumprir as normas do Proconve P7, a MAN terá duas, a SCR e a EGR e oferecerá cada uma delas de acordo com as necessidades do cliente. Os motores da MAN serão produzidos pela MWM e a Cummins já tem pronta uma nova linha de motores para equipar os caminhões da marca Volkswagen. As duas empresas fornecerão motores que atendam a nova fase do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores, o Proconve-7 que entrará em vigor em 1º de janeiro de 2012.

A MAN utilizará as duas tecnologias, com dois motores distintos. O motor Cummins, 4 cilindros, de 150 a 160 cv e de 6 cilindros de 330 a 390 cv, com o SCR. A MWM irá fabricar os motores MAN com 4 cilindros e 190 cv ou 6 cilindros com 260 a 280 cv de potência. Toda a engenharia, desenvolvimento e qualidade de produção serão da MAN, que passará os parâmetros para a MWM. O motor Cummins utilizará o SCR e o motor MAN será único motor de ônibus e caminhões a usar o EGR, que dispensa a utilização do Arla 32 (agente redutor líquido automotivo ).

Além de cumprir as normas do Proconve P7, a MAN apresentará um Volkswagen Constellation híbrido, um caminhão MAN movido com a mistura diesel e etanol na proporção de 55% e o biodiesel de segunda geração, chamado de Ultra Clean.

Também levará um protótipo, o VW Constellation 17.280 6×2 Híbrido, trazendo para os caminhões brasileiros o mesmo conceito de recuperação da energia cinética (KERS) utilizado nos carros da Fórmula 1. O sistema armazena em acumuladores hidráulicos a energia coletada durante a frenagem, usando-a posteriormente na partida do veículo. Por essa razão, é indicado para operações em que o veículo está submetido a uma aplicação “anda e para”, como a de coleta de lixo ou o transporte público.

Com certeza os caminhões que irão atrair a maior atenção durante a Fenatran são os da marca MAN, afinal são os realmente novos no mercado. Estarão lá os cavalos-mecânicos TGX e TGS fabricados no Brasil. A tecnologia alemã premium chegará através dos modelos TGX 29.440 (6×4) e 33.440 (6X4), que serão comercializados no Brasil a partir de 2012. Para atender um cliente específico, a transportadora espanhola Megabiaga, que atuará no transporte de peças para a montagem de torres para a produção de energia eólica, a MAN trouxe de Munique os modelos TGX 33.540 6X4 e TGS 33.540 6X6, acompanhados do TGS 41.480 8×4.

Os caminhões MAN TGX 29.440 e 33.440 6×4 são equipados com um trem de força que permite desempenho de alto nível no transporte rodoviário de longas distâncias em composições de 57 a 74 toneladas de peso bruto total.

O motor MAN D26 tem 12,4 litros, seis cilindros e 440 cv de potência. A transmissão automatizada de 16 velocidades TipMatic garante maior facilidade ao motorista e maior economia de combustível. Na versão manual, o caminhão MAN tem acionamento de transmissão a cabo com H sobreposto. Operada por tecla localizada na alavanca de câmbio, simplifica a troca de marcas e aumenta o conforto para o motorista. Disponível no modelo MAN TGX 33.440, a redução no cubo de roda otimiza a tração nas condições mais severas de operação e de topografia acidentada.

A MAN foi além da troca de motores em seus produtos e apresentou o conceito Advantech para as linhas Delivery, Worker e Constellation com inúmeras inovações, que vão desde mudanças no design interno e externo das cabines, até novos elementos eletrônicos que garantem aumento da vida da embreagem, redução do consumo de combustível e segurança na condução do veículo.

As três linhas receberam painéis mais modernos, com computador de bordo, indicador de marchas, limitador de rotação do motor, inibidor de partida do veículo em marchas diferentes de “primeira” e “ré”, e indicador de restrição do filtro de combustível. As cabines ganharam novas cores e um visual mais moderno e aerodinâmico. Tecidos mais resistentes garantem maior conforto ao motorista, tornando o ambiente visualmente mais agradável.

A linha Volkswagen Delivery 2012 será equipada com o motor Cummins ISF de 3,8 litros com sistema de póstratamento de emissões (SCR) baseado na utilização de Arla 32 (AdBlue), atendendo à nova legislação Proconve P-7. Possuem turbo de duplo estágio, que reduz em torno de 30% o número de trocas de marchas.

Além do novo motor, a linha recebeu inovações como a transmissão ZF S5 420 HD, de cinco marchas com acionamento a cabo, e embreagem com diâmetro de 330 mm.

Os Constellation 13.190, 15.190 e 17.190 e os Worker 13.190, 15.190 e 17.190 serão equipados com o novo motor MAN D08 de 4,6 litros, quatro cilindros e potência de 190 cv.

Desenvolvido exclusivamente para as aplicações em veículos comerciais, o MAN D08 tem dois estágios de sobrealimentação (dois turbocompressores), sistema de injeção Common Rail e tecnologia EGR de pós-tratamento de emissões.

A tecnologia EGR também garante melhor aproveitamento do espaço do chassi, já que não exige a instalação de tanque adicional e não interfere no encarroçamento do veículo.

O motor MAN D08 com 6,9 litros, seis cilindros e 260 ou 280 cavalos de potência conta com dois estágios de sobrealimentação (dois turbocompressores), tecnologia de recirculação de gases de exaustão (EGR) e sistema de injeção Common Rail. Estas tecnologias garantem desempenho ideal desde as baixas rotações, com baixo consumo de combustível e melhores retomadas. A tecnologia EGR permite melhor aproveitamento do espaço do chassi, pois não exige a instalação de tanque adicional e nem interfere no encarroçamento do veículo.

Os modelos 26.280 6×4 e 31.280 (6×4) e VW Worker 26.260 (6×4) e 31.260 (6×4) com motorização de 260 ou 280 cv da linha Volkswagen 2012 são equipados com novo conjunto motor-transmissão, o que se traduz em versatilidade nos mais diversos tipos de aplicação em países emergentes.

O motor MAN D08 com 6,9 litros, seis cilindros e nova transmissão ZF mecânica de 16 velocidades sincronizadas com comando por cabos se somando aos eixos dianteiro e traseiro mais robustos, completam os atributos desses modelos.

Equipados com novo conjunto motor-transmissão para atendimento às mais variadas aplicações, os Constellation 17.330 e 24.330 6×2 são indicados para operações rodoviárias e de distribuição. O motor Cummins ISL com nove litros, seis cilindros e 330 cv de potência passa a incorporar o freio de descompressão com até 80% da potência de motor para auxiliar na frenagem, e conta com a tecnologia de Redução Catalítica Seletiva (SCR), com um tanque de Arla 32 que é pulverizado no sistema de escape e reduz os níveis de óxidos de nitrogênio no catalisador.

Os VW Constellation 31.3 30 6×4 e 31.390 6×4 também equipados com motor Cummins ISL de nove litros e seis cilindros, passa a incorporar o freio de descompressão com até 80% da potência de motor para auxiliar na frenagem. A versão com 390 cv é dotada de turbocompressor com geometria variável, oferecendo ótimo desempenho e baixo consumo de combustível mesmo em baixas rotações.

Os cavalos-mecânicos 19.330, 19.390, 25.390 6×2 e o 26.390 6×4, são equipados com o novo motor Cummins ISL de 6 cilindros de nove litros e potências de 330 e 390 cv, apresentando moderna tecnologia a fim de garantir conformidade com o Proconve P-7.