Resultado da 1ª etapa da Gincana do Caminhoneiro 2017

31/08/2017 às 9:35 - Atualizado em 31/08/2017 às 9:35

Paranaenses dominam etapa classificatória de Cuiabá

Dois paranaenses, ambos de Arapongas, um mato-grossense de Lucas do Rio Verde e um paulista de Alvares Machado venceram a primeira etapa da Gincana do Caminhoneiro 2017, eles vão para a final no dia 26 de novembro, no Posto Santa Rosa, em Itajaí, SC

 

A primeira etapa da Gincana do Caminhoneiro, que completa 27 anos, foi encerrada neste domingo, 27, no Posto Aldo (BR-364, KM 397), em Cuiabá, Mato Grosso, com quatro caminhoneiros classificados: em primeiro lugar ficou Lucio Marcio Goldin, de Arapongas, PR, com tempo de 24s103; em segundo o mato-grossense Dionísio Locks, de Lucas do Rio Verde, que cravou 24s861; em terceiro o paulista de Alvares Machado, Leonel Aguillar Faria, com 24s889 e outro paranaense de Arapongas, Airton Borges de Andrade Junior, com tempo de 24.929. A etapa inaugural registrou 329 caminhoneiros cadastrados, em três dias de prova de estacionamento e de slalom (zigue-zague entre cones).

Os quatro caminhoneiros classificados são direto para a grande final no dia 26 de novembro, no Posto Santa Rosa, em Itajaí, SC, onde eles se juntam aos demais 16 profissionais do volante que ainda vão se qualificar nas outras cinco etapas: São Paulo /SP (Posto 4 Irmãos – 22 a 24 de setembro), Ponta Grossa/PR (Posto Torre Alta Locatelli – 6 a 8 de outubro), Linhares/ES ( Posto Dadinho – 27 a 29 de outubro), Betim/MG (Posto PTB – 10 a 12 de novembro) e Itajaí/SC (Posto Santa Rosa – 23 a 25 de novembro), onde também será realizada a grande final no dia 26 de novembro. O vencedor vai receber um caminhão Tector, da Iveco, patrocinadora master do evento.

O primeiro colocado na etapa inaugural de Cuiabá, Lucio Marcio Goldin, 47 anos, de Arapongas, PR, vencedor da gincana de 2003, disse que chegou à competição muito confiança, muito focado, “muito consciente do que precisava fazer e fiz”. “Puxador de areia”, como se definiu, Goldin – semblante de pessoa realmente muito tranquila – não se mostrou empolgado com o primeiro lugar. Ressaltou apenas que “agora é focar na final”.
Dionísio Locks, 49 anos, de Lucas do Rio Verde, ficou com a segunda colocação, com tempo de 24s861. Trata-se de um “piloto” muito experiência. Em 2001 foi finalista em Campina Grande, PB, e na final, em Montes Claros, ficou em oitavo lugar. Em 2009, em Nobres, MT, ficou em 12º lugar. No sábado, ao passar por Cuiabá, vindo de Rondonópolis, ouviu sobre a gincana na rádio A Gazeta. Ligou para a família avisando que competiria no domingo. Faturou a 2ª posição.
Entre os classificados, o único novato ficou com a 3ª posição: o paulista Leonel Aguilar Faria, de Alvares Machado, cravou tempo de 24s889. Caminhoneiro há oito anos, Aguillar era visivelmente o mais nervoso. Ele terminou em 1º lugar ao final do sábado. No domingo, ele não aguentou. Voltou à arena da competição, no domingo, só para acompanhar ao vivo, embora os resultados tivessem sendo transmitidos ao vivo por internet. Funcionário da Húngaro Transporte, Aguilhar repetia com frequência a seguinte frase:
“um caminhão como esse Iveco Tector muda a vida de qualquer pessoa. Imagine a minha”.
O quarto classificado, Airton Borges de Andrade Junior, é outro experiente na Gincana do Caminhoneiro, evento que teve participação por seis edições e foi finalista em uma delas. Lacônico, disse simplesmente que utilizou habilidades ao volante, comuns nas estradas brasileiras.
Saúde e conhecimento – Todos visitantes da Gincana do Caminhoneiro – Etapa de Cuiabá tiveram a oportunidade de serem atendidos pelo posto de exames médicos. Foram realizados 342 atendimentos de pressão arterial e glicemia. E foram aplicadas mais de 600 doses de vacinas – hepatite B, febre amarela, tríplice viral e antitetânica. Além disso, foram distribuídos preservativos aos caminhoneiros.
Na tenda da PRF – Polícia Rodoviária Federal, Valmir Oissa apresentou o curso “Direção Defensiva – Educação para o Trânsito”, por meio do Cinema Rodoviária, a mais de 160 caminhoneiros.