Viagens confortáveis

24/06/2016 às 4:17 - Atualizado em 24/06/2016 às 4:20

Dianteira Mista

Um caminhão equipado com uma suspensão eficiente facilita a vida do caminhoneiro, que enfrenta as mais diferentes estradas.

 Os cuidados com a suspensão garantem a produtividade durante uma operação logística. Sendo assim, a escolha correta do tipo de suspensão, aliada às ações preventivas e operacionais evitam danos à estrutura do veículo.

Segundo a engenharia da Suspensys, é muito importante conhecer os mecanismos que envolvem a suspensão mecânica e a pneumática. As mecânicas, aplicadas em veículos comerciais, (caminhões, implementos e ônibus) consistem em um sistema composto por suportes, feixes de molas (parabólicas ou trapezoidais), amortecedores e barras.

O seu funcionamento ocorre quando o sistema é submetido a um carregamento estático ou dinâmico, resultando na deflexão dos feixes de mola, os quais recebem a energia do movimento, diminuindo as vibrações sobre o chassi e proporcionando conforto e dirigibilidade ao veículo.

As suspensões com molas trapezoidais conferem uma maior robustez na aplicação e, na grande maioria dos casos, dispensam a necessidade de utilização de amortecedores. Já as aplicações com molas parabólicas são, preferencialmente, destinadas a aplicações que necessitem de maior conforto à carga, passageiro e motorista. Este benefício é obtido através do conceito construtivo das lâminas, atrelado à utilização de amortecedores. Este tipo de suspensão é o mais indicado para uso em aplicações severas e em ambientes com alto nível de contaminação (abrasivos).

As suspensões pneumáticas (ou a ar) aplicadas em veículos comerciais (caminhões, semirreboques e ônibus) consistem em um sistema composto por suportes, molas pneumáticas (bolsa), amortecedores, válvulas, reservatório e barras. O seu funcionamento ocorre quando o sistema é submetido a um carregamento estático ou dinâmico, causando uma variação na pressão das bolsas as quais recebem a energia do movimento, diminuindo as vibrações sobre o chassi e proporcionando conforto e melhor dirigibilidade.

Neste tipo de suspensão, a altura de rodagem é constante, independentemente da condição de carga, devido à utilização da válvula de nível, a qual determina a pressão de trabalho nas bolsas. Outra funcionalidade deste modelo é a possibilidade de controle/alteração de altura de trabalho de forma manual ou eletrônica, permitindo, por exemplo, o rebaixamento dianteiro para passageiros, regulagem para altura em docas e facilitar o engate do cavalo-mecânico ao implemento.

As suspensões pneumáticas podem ser divididas em três grupos: Air link, Full air e mista. As suspensões do tipo Air link utilizam duas bolsas de ar (por eixo). Já as do tipo Full air podem utilizar duas ou quatro (usual) bolsas de ar (por eixo). Os modelos mistos combinam duas bolsas de ar (por eixo) juntamente com molas mecânicas. Este tipo de suspensão é o mais indicado para uso em aplicações rodoviárias onde conforto ao motorista, passageiros e proteção à carga são prioritários. Em contrapartida, seu custo inicial e de manutenção são superiores aos da suspensão mecânica devido à sua tecnologia e mão de obra especializada.

 

 

Manutenção                      

Nas suspensões mecânicas é necessário realizar a verificação de torques, lubrificação e avaliação dos componentes de desgaste (molas, buchas, esfregas e balancim). Nos modelos equipados com amortecedor, a condição do mesmo deve ser avaliada (vazamento e carga).

Para as suspensões pneumáticas deve-se avaliar a integridade do sistema pneumático quanto ao funcionamento adequado e possíveis vazamentos, regulagem da válvula de nível (para manutenção da correta altura de trabalho). Além destas, devem ser verificados os torques e condições das buchas e amortecedores.

A Suspensys recomenda que a manutenção seja realizada de forma preventiva, conforme recomendado nos manuais de manutenção/proprietário do veículo e em concessionárias autorizadas pelos fabricantes. Para maximizar a vida das suspensões em geral, deve-se garantir a utilização do veículo de acordo com a aplicação e respeitar a periodicidade de manutenção.

 Confiabilidade

“Para cuidar bem da suspensão do caminhão é fundamental a escolha de um lugar confiável”, diz Divino Lima, gerente de Operações da Linha Pesada da DPaschoal.

A DPaschoal conta com uma rede de 21 truck centers, estrategicamente localizados para receber os caminhoneiros e oferece a “revisão de segurança”, em que técnicos altamente capacitados verificam todos os itens da suspensão do caminhão. “São verificados folgas de embuchamento de manga de eixo, rolamentos, terminais e barras de direção, amortecedores, buchas de tirante e das barras estabilizadoras, grampos dos feixes de mola. Além desses itens, na suspensão pneumática também são verificadas as bolsas pneumáticas”, explica Lima.

Divino Lima recomenda que se façam revisões periódicas nos itens de maior desgaste da suspensão (ideal a cada 15.000 quilômetros), pois requerem atenção principalmente quanto à lubrificação dos componentes móveis.

Quando há algum problema na suspensão do caminhão, na maioria das vezes, é refletido no pneu, que apresenta desgaste irregular na banda de rodagem, que pode ser observado passando as mãos no pneu. Além disso, ocorrem ruídos e falta de estabilidade do veículo.

Divino Lima explica que nos truck centers DPaschoal o caminhoneiro conta com infraestrutura para seu conforto, como sala de espera com TV e o tradicional cafezinho com pão de queijo. Técnicos preparados para cuidar da suspensão do seu caminhão e um completo portfólio de produtos e serviços com equipamentos adequados para a manutenção. O caminhoneiro recebe um cartão fidelidade que contempla vários benefícios como descontos especiais na aquisição de produtos.

A Della Via conta com uma ampla rede de truck centers, estrategicamente localizados na rota sul e sudeste do País. A empresa informa que esses locais dispõem de produtos de qualidade, diversificada oferta de serviços e equipamentos da mais alta tecnologia que garantem suporte total aos frotistas e caminhoneiros, com rapidez e economia.

Segundo Hilton Caron, gerente do Truck Della Via, de Araucária, PR, geralmente, os itens que mais sofrem desgastes na suspensão do caminhão são o embuchamento da manga de eixo, os terminais e as barras de direção e os amortecedores. Estes necessitam de constante atenção do caminhoneiro.

A Bridgestone possui a maior rede de serviços do Brasil para caminhões e ônibus que chamamos de BTS (Bandag Truck Service). Esta rede oferece serviços altamente qualificados para manutenção completa dos veículos, otimizando o tempo de parada. Nestes centros, o transportador encontra uma oficina estruturada, atendimento e serviços padronizados e mão de obra qualificada. Os centros de serviços BTS disponibilizam produtos e serviços demandados por seus clientes, como pneus novos, serviços para freios, serviços de suspensão, de lubrificação, de sistemas elétricos, conveniência, acessórios e serviços de recapagem. A rede, que conta atualmente com 174 pontos, possui cobertura nacional com localização estratégica nas principais rodovias de acesso do País.

Segundo Marcos Aoki, diretor Comercial da Bridgestone Bandag, para cuidar bem da suspensão, é muito importante realizar revisões periódicas e preventivas a cada 10.000 km ou uma vez por mês, dependendo do quanto o caminhão roda. Outro fator importante é a lubrificação periódica dos componentes móveis e rolamentos. Para evitar danos à suspensão do veículo, recomenda-se não transportar peso além do que é estabelecido pela legislação e/ou capacidade do veículo.

 

 

Zoom

A empresa KLL nasceu há 27 anos para desenvolver suspensões para caminhões, ônibus e implementos rodoviários para as severas condições brasileiras e para os clientes muito exigentes, chegando à liderança do mercado com produtos mais leves e mais resistentes, fornecendo para as montadoras de caminhões, ônibus e implementos rodoviários.

A KLL, 100% brasileira, fornece suspensões metálicas e pneumáticas completas, eixos auxiliares e autodirecionais para caminhões, ônibus e implementos rodoviários.

Segundo Juarez Keiserman, presidente da KLL, a performance e durabilidade são as principais características que definem a qualidade de uma peça ou de uma suspensão como um todo.

Já a Firestone produz molas pneumáticas no Brasil desde 1973, mas produz molas pneumáticas nos USA desde 1938, pois possui a patente da criação da mola pneumática.

Segundo Antonio Carlos Toral, gerente de Vendas da Firestone, a Firestone é líder no mercado de molas pneumáticas e possui mais de 60% do mercado brasileiro, tanto em equipamento original como em reposição.

O executivo explica que a empresa tem a maior gama de molas pneumáticas. “Fornecemos molas para a suspensão dianteira, traseira e levantadores de eixo. Além disso, fornecemos também molas de cabines e molas de assentos para os mais diversos tipos de veículos pesados (caminhões, carretas e ônibus)”.

Outro destaque nesse segmento é a Suspentech que, em 2003, na cidade de São Marcos, iniciou suas atividades, produzindo molas pneumáticas para cabine de caminhões. Posteriormente a empresa ampliou sua linha de produtos, passando a fabricar suspensões pneumáticas para trucks e carretas e ônibus. Além disso, a Suspentech disponibiliza peças de reposição para diversas marcas como Scania, Volvo, Iveco, Mercedes-Benz, Volkswagen, Randon, Facchini, Guerra, Noma, entre outras. Segundo Deoclécio Araújo, diretor Comercial da Suspentech, a empresa disponibiliza a mola pneumática de suspensão do eixo da tração, truck e carretas para todas as marcas de caminhões existentes no mercado brasileiro, assim como as molas de suspensão da cabine.

Segundo Araújo, as molas pneumáticas da Suspentech têm como diferencial sua linha completa, produzida com excelente qualidade e responsabilidade. “Geralmente a qualidade das molas pneumáticas pode ser reconhecida pelo conforto e a estabilidade do veículo. Outro ponto interessante a ser observado é a facilidade de instalação e a durabilidade”, destaca Araújo.  

Boas dicas

– Fazer a revisão periódica da suspensão.

– Escolher um lugar de confiança para realização dos serviços.

– Aplicar peças de boa qualidade.

– Fazer alinhamento e balanceamento periodicamente.

– Evitar encostar o pneu na guia ao estacionar ou em manobras.

– Calibrar os pneus em no máximo 15 dias.

– Não exceder o peso limite de carga para o veículo.