Volvo lança sexta geração da caixa I-Shift 

01/11/2016 às 1:02 - Atualizado em 04/11/2016 às 7:01

motor

O novo câmbio possibilita trocas mais rápidas e eficientes, garantindo uma performance melhor, mais economia de combustível e mais rentabilidade na operação de transporte.

“Os transportadores brasileiros e latino-americanos terão, mais uma vez, acesso ao que há de mais moderno e avançado em transmissão para veículos comerciais. Esta nova geração propicia ainda mais qualidade e desempenho na estrada”, declara Bernardo Fedalto, diretor de Caminhões Volvo no Brasil. “Estamos constantemente desenvolvendo e lançando novos produtos e tecnologias que agreguem mais valor ao transporte e maior rentabilidade ao transportador”, complementa Nilton Roeder, diretor de Estratégia, Desenvolvimento de Negócios e suporte a vendas de caminhões do Grupo Volvo América Latina.

A nova I-Shift, agora à disposição no País, foi lançada este ano na Europa. Mais avançada e com novos softwares, a transmissão tem uma “inteligência” ainda mais sofisticada. A conexão entre a caixa e os demais módulos que compõem a arquitetura eletrônica do caminhão foi fortemente ampliada. Na prática, isso significa trocas mais rápidas de marchas, diminuição no consumo de diesel, melhor comportamento do acelerador, melhor performance em aclives e mais conforto para o motorista.

Com 12 marchas a frente e quatro a ré, a nova caixa gerencia melhor a relação com o motor, proporcionando um maior aproveitamento da potência, principalmente nos momentos em que o veículo precisa manter a velocidade média para vencer trechos de estrada com subidas.

A inovadora tecnologia proporcionou um desempenho otimizado nos caminhões com motores de 540cv. “A inteligência da I-Shift entende qual é o momento adequado para despender mais potência e garante um comportamento correto para cada situação”, afirma Álvaro Menoncin, gerente de Engenharia de vendas da Volvo. “Associada ao avançado sistema I-See e aos sensores posicionados na caixa, esta nova geração entende perfeitamente qual a carga transportada, bem como a topografia a sua frente, otimizando as trocas e garantindo baixo consumo de combustível com maior velocidade média”, complementa Deonir Gasperin, engenheiro de vendas de caminhões da Volvo.

Tags: