Conheça o perfil do caminhoneiro autônomo brasileiro

29/03/2019 às 4:24 - Atualizado em 29/03/2019 às 4:24

Realizada todo ano, a Pesquisa CNT de perfil dos caminhoneiros revela importantes dados e informações sobre a profissão. Além disso, é possível determinar as diferenças e semelhanças entre os caminhoneiros autônomos e os empregados de frota.

Esse levantamento é extremamente benéfico para esses condutores que trabalham de forma independente. Isso porque, conhecendo alguns dados, é possível estipular melhor o preço do frete e reduzir alguns gastos durante as viagens.

Dados gerais sobre os motoristas autônomos

Os motoristas autônomos representam, segundo a pesquisa da CNT, aproximadamente 67% do total de motoristas de caminhões no Brasil. Um número muito representativo e que revela como essa categoria está crescendo nos últimos anos.

Desses autônomos, a maior parte está na região Sudeste (53,5%), seguido do Sul (23,1%), Nordeste (13,2%), Centro-Oeste (6,3%) e Norte (3,9%). Em questão de estados, São Paulo (31%), Minas Gerais (15%) e Paraná (12%) dominam o mercado desses profissionais.

O perfil do caminhoneiro

O caminhoneiro autônomo possui, em média, 46,5 anos. E cerca de 99,4% desses profissionais são homens, o que revela uma grande discrepância entre os sexos, fator que se repete entre os empregados de frota (99,7% x 0,3%).

Ainda, segundo os dados fornecidos pela CNT, a maioria dos caminhoneiros autônomos possui 2º grau completo (27,7%). Neste dado ainda é possível observar que os condutores independentes possuem números extremamente variáveis no quesito escolaridade, possuindo índices relevantes em todas as situações (desde os que abandonaram a escola no ensino fundamental até os que possuem superior completo).

Faturamento bruto e líquido do caminhoneiro autônomo

Uma das questões que despertam mais a curiosidade do caminhoneiro autônomo é o salário médio da profissão. Nesse quesito, esse tipo de motorista possui um faturamento bruto mensal de R$ 16,117,88, pouco menos de 100 reais a mais do que os empregados de frota.

Já a renda mensal líquida desses caminhoneiros, excluindo impostos, encargos, aluguel e combustível, é de R$5,011,39, pouco mais de 1200 reais a mais do que os empregados de frota. Essa diferença está, em grande parte, relacionada a faixa dos condutores que recebem entre 5 e 10 mil mensais, que é de 23% nos independentes e 4% nos empregados.

Veículos dos caminhoneiros autônomos

A Pesquisa CNT também abordou dados sobre os veículos desses caminhoneiros. Os autônomos possuem, em sua grande maioria (84,4%), apenas um veículo registrado em seu nome. Desses, a grande maioria está em São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul, respectivamente.

Os estados que possuem o menor número de veículos registrados são Acre e Maranhão (não chega sequer em 0,1%) e Piauí, Tocantins e Rondônia (0,1%).

Já a marca preferida dos motoristas de caminhão autônomos é a Mercedes-Benz, já que 45,3% deles possuem veículos da marca. Enquanto isso, 17% possuem caminhões da Scania e 14,3% da Volkswagen/MAN.

Fator de preocupação para os caminhoneiros autônomos

Comprar um caminhão novo não é nada fácil, já que os preços muitas vezes são caros e a demanda por fretes as vezes é muito complicada. Por isso, um fator que gera preocupação em muitos caminhoneiros é a idade do seu veículo.

O levantamento, realizado com profissionais de todos os países, revelou que a média de idade dos caminhões desses motoristas autônomos é de incríveis 18,4 anos, expressivos 10 anos a mais do que os veículos das transportadoras.

Outro tema em debate entre os profissionais autônomos é o ARLA 32, já que, enquanto 65% dos condutores afirmaram que usam sempre, 25% garantiram que não utilizam.

Gostou dos dados e informações? Entender um pouco mais sobre a própria classe é extremamente importante, pois é possível concluir se o caminhoneiro autônomo está dentro da média, acima ou abaixo nos diferentes fatores. Comente em nossas redes sociais e sugira outros assuntos para a Revista Caminhoneiro. Até a próxima!